quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Empresário preso diz ter gerado, sozinho, R$ 1,7 bi em propina

O engenheiro Adir Assad, preso na Lava Jato, detalhou como funcionava o esquema bilionário de pagamento de propina em grandes empreiteiras do País. Assad disse em depoimento ao juiz da 7ª Vara Criminal Federal no Rio de Janeiro o que era a "lasanha de propina". Na audiência, Adir Assad também diz que gerou, sozinho, R$ 1,7 bilhão de propina."É tudo uma questão de dinheiro. Para se eleger um deputado federal custa R$ 30 milhões, para eleger um deputado estadual, custa R$ 20 milhões. Tanto é que eu forneci para todas as empreiteiras. (...) Porque a gente tinha a facilidade para esse crime", explicou Assad.Um crime contra os cofres públicos já que no esquema as empreiteiras contratavam a empresa de Adir Assad para fazer terraplanagem e o serviço simplesmente não era feito. Ainda assim, Assad emitia notas fiscais milionárias sem remover nada de areia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário