sexta-feira, 21 de julho de 2017

‘Vivo de ajuda de familiares’, diz ex-tesoureiro do PT

Do Radar On-Line
Em novo depoimento, o ex-tesoureiro do PT Paulo Ferreira, acusado de intermediar pagamento de propina para o partido, aproveitou a oportunidade para fazer alguns apelos ao juiz Sergio Moro.

O primeiro deles é que se devolvesse o único computador que possuía em casa e alguns documentos apreendidos pela Polícia Federal na Operação Abismo, há mais de um ano. O outro era pela devolução dos 200 mil reais que pagou como fiança para que deixasse a prisão, já que vive de “ajuda de familiares”.

“Eu perdi o emprego, há um ano que não tenho salário, não tenho recursos para ir e vir e vivo de ajuda de familiares”, disse Ferreira. “Não tenho o que muitos que vêm aqui têm: contas no exterior e bens”, completou.

Alvo da Operação Abismo, que investiga propinas em obras do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento da Petrobras (Cenpes), Ferreira foi preso em 23 de junho do ano passado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário