sexta-feira, 28 de julho de 2017

Repórter da Globo é ameaçado de morte após polêmica no jogo Santos e Flamengo

Foto: Reprodução / SporTV
O repórter Eric Faria, da TV Globo, participou do programa Redação SporTV, do canal fechado SporTV, nesta sexta-feira (28). Ele revelou que vem recebendo ameaças de morte após a polêmica anulação do pênalti na partida entre Santos e Flamengo. No lance, o zagueiro Réver disputou a bola com o atacante Bruno Henrique.

"Isso tudo é muito chato. A gente gosta de vir aqui falar de futebol, e o futebol está virando uma coisa muito maluca, que não é o que a gente gosta de ver. Eu estar aqui hoje falando de uma acusação leviana, falsa, que está me dando um pouco de dor de cabeça em rede social, já recebi um monte de ameaças de morte, que se eu for na Vila Belmiro vou sair no camburão do IML, vou tomar paulada, pedrada, enfim. Mais do que um jornalista, tem um cidadão aqui, pai de família, pai de dois filhos. Ontem, no meio da confusão, tenho um menino de 10 anos que me mandou um WhatsApp: "Está tudo bem, pai, nesse rolo todo? Está vindo para casa bem?"", declarou.

O duelo entre as duas equipes aconteceu na última quarta-feira (26), no estádio da Vila Belmiro e foi válido pela segundo jogo das quartas de final da Copa do Brasil. O clube paulista venceu a partida por 4 a 2, mas foi eliminado do torneio devido ao saldo de gols no confronto. O Flamengo triunfou por 2 a 0, na partida de ida.

Após a eliminação, a diretoria entrou com um pedido de anulação do jogo acusando o repórter de ter informado ao quarto árbitro Flávio Rodrigues de Souza, que não houve falta no lance. O clube ainda pede o descredenciamento de Eric Faria como repórter de campo. O jornalista negou que tenha interferido na decisão do árbitro Leandro Pedro Vuaden, que voltou atrás e anulou a marcação da penalidade máxima.

"Eu não troquei nem boa noite com o Flávio. Duvido, desafio, que mostrem qualquer imagem que comprovem que falei com o quarto árbitro. Por isso acho que é uma atitude feia do Santos, não precisava disso, e me expôs a uma situação. Mas eu não vou deixar de ir a jogo de futebol, trabalhar em jogo de futebol. Domingo estou escalado. Não tem por que eu me esconder, não tem por que ter medo de nada, não fiz nada e vou de cabeça erguida", se defendeu. "A troco de quê isso? A gente fala tanto em não violência no futebol, e um clube da grandeza do Santos não precisa disso, não precisa realmente. A história do Santos é linda, é belíssima. Ele está em outras competições. Sinceramente, desviar o foco de uma derrota e atribuir a uma acusação sem pé nem cabeça? Eu sequer me mexo no campo. A gente tem uma posição que é determinada", completou. BN

Nenhum comentário:

Postar um comentário