domingo, 30 de novembro de 2014

País está 'muito atrasado' no combate à corrupção, diz futuro chefe do TCU

Aroldo Cedraz, que assume a presidência do TCU em 2015.
Ministro desde 2007 e atual corregedor e vice-presidente do TCU (Tribunal de Contas da União), Aroldo Cedraz vai assumir o comando do órgão a partir de 2015 --a aclamação está marcada para o dia 10.

Ele afirma que se não houver investimento em tecnologia e maior controle social não há como vencer a corrupção no Brasil.

Cedraz afirmou que o Brasil usa "quase nada" de tecnologia no combate aos crimes de colarinho branco e disse que o país "precisa avançar muito" para conseguir frear o roubo dos cofres públicos.

Ele disse ainda que a sociedade "não pode aceitar" os casos de corrupção divulgados e têm de agir como agente direto de combate. "Temos de ativar o cidadão, que cada um coloque isso na sua agenda. Não existe controle externo sem o controle social", disse.

Em tempo: Como diz Rui Barbosa, “justiça atrasada não é justiça, é injustiça qualificada".

Nenhum comentário:

Postar um comentário