sábado, 4 de fevereiro de 2012

TEIXEIRA DE FREITAS-BA: Cadela é perversamente torturada até a morte em um condomínio

Por: Atylla Borborema
Um fato lamentável de maus tratos aos animais chamou a atenção da população de Teixeira de Freitas, depois que o representante comercial Isaque Cordeiro Silva, 21 anos, morador do Condomínio Eldorado (pertencente aos próprios condôminos), no bairro Tancredo Neves, procurou a Polícia Civil onde registrou uma queixa policial e solicitou a instauração de um termo circunstanciado e também procurou o Ministério Público na manhã desta sexta-feira (03/02), para estabelecer uma representação.
Segundo Isaque Cordeiro, a sua cadela da raça Poodle e que atendia pelo nome de “Julie”, de 2 anos de idade, havia sumido e depois de muitas buscas, localizou o animal pendurado pelo pescoço por uma corda no interior de um prédio em construção na rua vizinha onde mora às 15h de segunda-feira do último dia 31 de janeiro. A cachorrinha apresentava sinais de violência na cabeça e pelos vestígios encontrados no local do seu achado, ela teria sido apedrejada até a morte e pela dilaceração apresentada em sua genitália e no seu reto, o matador teria introduzido algum pedaço de madeira ou ferro nos órgãos sexuais da cachorrinha e posteriormente pendurando o animal no interior do imóvel.
Segundo a delegada Rina Andrade, da 8ª Coordenadoria Regional da Polícia Civil de Teixeira de Freitas, autoridade policial que apura o caso, é inadmissível se aceitar qualquer ato doloroso ou cruel com animais e é considerado crime praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos, e no caso da morte desta cadela no Condomínio Eldorado, localizado no bairro Tancredo Neves em Teixeira de Freitas, se o autor for devidamente identificado, ele será indiciado e se condenado pela justiça, poderá pegar uma pena de 3 meses a 1 ano de prisão ou multa, conforme o Artigo 32 da Lei Federal nº 9.605/98.
Julie foi maltratada até a morte
“Foi uma crueldade que fizeram com a minha cachorrinha. Ela era muito dócil. Minha esposa chora o tempo todo por causa da perversidade que fizeram com a minha “Julie” porque ela era a filha que nós tínhamos. Inicialmente pensávamos que alguém a teria furtado, mas quando descobrimos, ela havia sido torturada e morta. É muita maldade no coração de uma gente dessa, ao ponto de mutilar um animalzinho motivacional e indefeso que só sabe distribuir carinhos aos donos. Há dois meses atrás uma vizinha minha sofreu a mesma situação dentro do nosso condomínio, quando mutilaram até a morte o cachorrinho dela. A nossa intenção é reunir os moradores para adotarmos uma medida sobre estes tipos de atos”, disse Isaque Cordeiro.
Recentemente, na quarta-feira do último dia 21 de dezembro de 2011, na cidade de Formosa no estado de Goiás, a enfermeira Camila dos Santos, 22 anos, se tornou alvo de uma notícia de grande repercussão no Brasil por ter matado sob tortura o filhote de um cachorro da raça yorkshire. A jovem passou a ser investigada pela polícia depois que um vídeo divulgado na internet a flagrou espancando o animal. O inquérito do caso dela, foi enviado à Vara Criminal do Tribunal de Justiça de Goiás, na primeira semana de 2012, porque Camila foi indiciada pela Polícia Civil por maus-tratos e por expor a filha ao espancamento do animal, que tinha cerca de quatro meses na época do fato.
Isaque teve sua cadela de estimação mutilada até a morte

Um comentário:

  1. coloca um filho da puta deste na minha frente q te garanto q faço pior com ele este demônio tem é q ser linchado ate a morte

    ResponderExcluir