sábado, 28 de fevereiro de 2015

Levy diz que desoneração da folha de pagamento foi brincadeira cara

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, fala sobre a redução da desoneração da folha de pagamentos (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, afirmou nesta sexta-feira (27) que a desoneração da folha de pagamento foi uma “brincadeira” que custou ao governo R$ 25 bilhões por ano.

“Vários estudos nos mostram que isso não tem protegido o emprego. Tem que saber ajustar quando não está dando resultado. Não deu os resultados que se imaginava e se mostrou extremamente caro. A gente não está eliminando. Está reduzindo [o benefício]”, disse o ministro segundo o G1.

A afirmação foi dada após a publicação da Medida Provisória que reduziu a desoneração da folha de pagamentos das empresas. Desde 2011, companhias contavam com um estímulo em forma de desconto no pagamento da contribuição previdenciária.

A MP 669 determina que os setores que antes pagavam 1% sobre o faturamento passarão a recolher 2,5%. Já as empresas que pagavam 2%, passarão a recolher 4,5% ao INSS. Os novos valores passam a valer em junho.

A alta na arrecadação deve acrescentar R$ 5,35 bilhões ao superávit primário deste ano, segundo o Valor Econômico. Para Levy, em um ano cheio, a contribuição para os cofres públicos será de R$ 12,8 bilhões. REDAÇÃO ÉPOCA

Nenhum comentário:

Postar um comentário