quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Fumantes são mais propensos a desenvolver doenças oculares

No Dia Nacional de Combate ao Fumo, oftalmologista da clínica ProVer fala das doenças oculares relacionadas ao tabagismo

Conhecido como fator de risco para uma gama de doenças, o tabagismo também pode aumentar o risco de catarata e doença macular relacionada à idade (DMRI), principal causa de cegueira irreversível e perda de visão em todo o mundo.

No Dia Nacional de Combate ao Fumo, celebrado em 29 de agosto, o oftalmologista da clínica ProVer, Bruno Meireles, alerta sobre os cuidados que fumantes devem ter em relação à saúde dos olhos e fala dos sinais surgem ao longo do tempo.

“Não existe um sinal específico. Os olhos dos fumantes podem ficar cronicamente vermelhos, por exemplo, e a recuperação pós-cirúrgica de um paciente fumante de longa data fica mais arrastada, pela maior dificuldade de recuperação tecidual”, afirma.

O médico alerta também para o acompanhamento do fumante com um oftalmologista em caso de doenças associadas. “Um fumante, por si só, se não tiver alguma doença a associada, não tem que ter acompanhamento com oftalmologista mais restrito”, pondera.

Mais de 140 doenças descritas na Medicina estão diretamente associadas ao tabagismo. Somente quanto à saúde dos olhos, além da catarata e DMRI, outra doença que pode acometer os fumantes é a neuropatia tóxica, que pode causar cegueira permanente.

“Conjuntivites alérgicas também são mais comuns nos fumantes, além do aumento de doenças da córnea, se coçar muito o olho e, uma doença mais rara, é a neuropatia tóxica, pois o fumo causa lesão neuronal direta da bainha de mielina dos nervos [conjunto de dobras múltiplas]”, acrescenta Meireles.

Prevenção
Além da redução do uso do fumo, a forma de prevenção mais eficaz é a realização de exames periódicos com o oftalmologista. De acordo com o médico, exames complementares são adjuvantes no diagnóstico mais preciso das doenças e esse atendimento precisa ser individualizado de acordo com a patologia a ser pesquisada.

“Na ProVer, todos os pacientes são individualizados para realização dos exames necessários e tratamento a ser instituído. E dispomos de todos os exames complementares para isso também, com equipamentos de ponta de alta tecnologia”, completa.

Exposição involuntária
A fumaça que sai da parte acesa do produto contém os mesmos compostos tóxicos e cancerígenos que a fumaça tragada pelo fumante, porém em níveis bem mais elevados: 3 vezes mais nicotina, 3 vezes mais monóxido de carbono, e até 50 vezes mais substâncias cancerígenas.

Desse modo, o fumante causa prejuízos também a quem fica exposto à fumaça ambiental do tabaco, conhecido como fumante passivo.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a Poluição Tabagística Ambiental é a maior fonte de poluição em ambientes fechados e o tabagismo passivo, a terceira maior causa de morte evitável no mundo, perdendo apenas para o tabagismo ativo e o consumo excessivo de álcool.

Sobre a ProVer Oftalmologia
O grupo ProVer foi criado a partir da união de oftalmologistas que atuam em diversas subespecialidades da oftalmologia, utilizando conhecimento científico baseado em evidências e os melhores e mais modernos equipamentos para diagnóstico e tratamento. O grupo foi idealizado para oferecer cuidado oftalmológico de excelência, promovendo prevenção, cura e reabilitação do mais importante dos nossos sentidos, a visão.

A clínica ProVer Oftalmologia está situada na Av. Antônio Carlos Magalhães, 771, Ed. Empresarial Torre do Parque, salas 607 a 610, Itaigara. Outras informações sobre os exames e procedimentos realizados pela unidade médica podem ser obtidas pelos telefones (71) 3034-3200 / 3353-7553 / 3027-9907.

Nenhum comentário:

Postar um comentário