quinta-feira, 30 de maio de 2019

Ciro e Maria do Rosário batem boca por causa de Lula

O candidato derrotado na última eleição presidencial, ex-ministro Ciro Gomes (PDT), e a deputada federal Maria do Rosário (PT/RS) bateram boca na noite dessa segunda-feira (27) por causa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A briga foi durante um debate sobre fascismo realizado na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) em Recife. Informações de Juliana Cipriano, do Correio Braziliense.

Ciro falava do que chamou de perda de hegemonia da esquerda e dos erros que considera terem levado à eleição do presidente Jair Bolsonaro (PSL). De acordo com ele, o fato de o PT ter insistido na candidatura de Lula, mesmo sabendo que ele seria impedido pela lei, contribuiu para a derrota da esquerda.

A deputada Maria do Rosário se irritou e pediu que ele parasse de falar do ex-presidente. “Ciro, você tem que deixar de lado essa obsessão de falar do Lula, contra o Lula. O Lula está preso, mas é uma injustiça o que acontece com ele”, disse a petista.

Maria do Rosário disse ainda que Ciro estaria magoado e que o ex-ministro cearense traz “divisionismo” para o campo deles. A parlamentar afirmou considerá-lo um grande pensador, mas “magoado”, e que se sente na obrigação de defender Lula.

Autocrítica
Ciro disse que a esquerda precisa de uma autocrítica. Se referindo ao presidente Jair Bolsonaro, disse ainda que não se pode fazer apologia ao fascismo como um fenômeno de amor e idolatria de um personagem exuberante fazendo a apologia que se faz do Lula. O ex-ministro disse que apoiou Lula por 21 anos e esteve com ele apoiando a disputa de Fernando Haddad (PT) pela prefeitura de São Paulo.

O pedetista afirmou ainda que, durante a condução coercitiva de Lula, disse que teria recebido os policiais à bala e que chegou a defender que o ex-presidente se refugiasse em uma embaixada e contestasse a Justiça Brasileira para não ser preso. “Eu não falei mal do Lula, porra. Falei que ele está condenado em segunda instância e não vou mudar o discurso porque quem não vê a realidade é louco, é pirado”, disse.

Maria do Rosário pediu unidade e disse que não iria interromper mais. “Mas se eu estou aqui e Lula não está e acho que é uma injustiça contra Lula, também não posso me calar.” Ciro contestou o fato de o PT ter sacrificado a candidatura de Marília Arraes pelo PSB ao governo do Pernambuco. Unidade é o cacete”, disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário