domingo, 30 de setembro de 2018

Entre céticos e preocupados, generais falam sobre denúncia contra Bolsonaro

Leandro Prazeres**Do UOL, em Brasília***Foto: Diego Nigro/JC Imagem
De acordo com revista, ex-mulher acusou Bolsonaro de furtar cofre e ocultar patrimônio

Generais aliados ao candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) ouvidos pelo UOL se dividiram entre a preocupação, o ceticismo e a revolta em relação à reportagem publicada pela revista Veja nesta sexta-feira (28) que revelaram que a ex-mulher dele o acusou, entre outras coisas, de furto a um cofre em uma agência do Banco do Brasil e ocultação de bens à Justiça Eleitoral. Um deles, exaltado, disse que os generais estão "cagando" para as denúncias. 

A reportagem do UOL conversou com três generais da reserva que atuam junto à campanha de Bolsonaro. Todos aceitaram falar, desde que fosse sob a condição de anonimato. Um deles demonstrou certa preocupação com o conteúdo da matéria.

"Conheço o Bolsonaro e o considero um homem honrado. Mas vou me informar melhor sobre o que essa reportagem trouxe. Se ficar comprovado que ele fez algo do que está dito ali, eu me retiro dessa missão", afirmou um dos generais. O que mais preocupou esse militar foram as acusações envolvendo a suposta ocultação de patrimônio e recebimento de recursos não declarados.

"Na vida militar, a gente leva uma vida muito austera. Zelamos muito pela honestidade. Quero construir um país melhor para minha família. Se eu perceber que não é com esse projeto, eu me retiro e volto à minha vida normal", disse.

Outro general adotou cautela. Disse que ainda não tinha lido a reportagem, mas que entendia que haveria o que classificou como uma "investida" da imprensa contra Bolsonaro. "Ouvi falar da reportagem, mas ainda não li. Acho que há uma investida da mídia contra ele", afirmou. LEIA TUDO AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário