segunda-feira, 30 de abril de 2018

Atentado com homem-bomba disfarçado de repórter marca maior ataque a jornalistas desde 2001

James Mackenzie**Em Cabul**Rahmat Alizadah/Xinhua
Parentes, amigos e colegas rezam ao lado do caixão do fotógrafo da agência AFP, Shah Marai, morto no atentado

Dez jornalistas foram mortos no Afeganistão nesta segunda-feira, incluindo nove repórteres e fotógrafos que morreram em um atentado suicida com bombas na capital Cabul e um jornalista que trabalhava para o serviço em língua afegã da BBC que foi morto a tiros na cidade de Khost.

Foi o dia mais mortal para a mídia do país desde que uma campanha liderada pelos Estados Unidos derrubou o regime islâmico Taliban em 2001.

Em Cabul, jornalistas cobrindo uma explosão de bomba durante a hora do rush da manhã estavam em um grupo perto do local da explosão quando um homem-bomba se explodiu, matando sete pessoas e ferindo várias, duas das quais morreram mais tarde. Leia mais em: https://noticias.bol.uol.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário