quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Vice-presidente do Bahia indica que clube não deve sair do Baiano 2018

por Ulisses Gama**Foto: Ulisses Gama / Bahia Notícias
A insatisfação do Bahia com o resultado do julgamento do clássico Ba-Vi não deve culminar na saída do clube do Baianão 2018. Após o veredito que multou o Vitória, puniu atletas dos dois clubes e absolveu o técnico Vagner Mancini, o vice-presidente do Tricolor, Vitor Ferraz, indicou que a equipe deve seguir na competição, mas colocou a credibilidade do estadual em dúvida pelo resultado. "O Bahia honra a sua tradição e não abandona certames durante o seu decurso. O que se questiona aqui é em relação a credibilidade. As equipes que disputam a competição precisam buscar sua valorização. Decisões que não respondam à altura põe em risco a credibilidade das instituições e da própria competição. É uma mensagem perigosa que tem que ser vista com cuidado", declarou. Vitor Ferraz comentou o fato do pedido do Bahia para entrar como terceiro interessado no caso do rubro-negro ter sido indeferido pela mesa julgadora."Se faz necessário que o recurso busque o reconhecimento do que a lei determina no sentido do que o Bahia possa entrar como terceiro interessado. Com todo respeito ao entendimento da corte, não há que se duvidar do interesse do Esporte Clube Bahia", explicou Ferraz, que voltou a criticar e pedir pena máxima ao Vitória pelo encerramento da partida entre as duas equipes no último dia 18 de fevereiro. "Nosso objetivo é buscar a minoração ou absolvição dos nossos atletas. Existem provas que houve uma exacerbação da penalização desses atletas. Mas existem outras questões para ser vistas. A mensagem que se passa ao público com a atitude lamentável que é abandonar a partida. Quando você sai de uma partida em curso, é necessária que haja uma punição à altura", indicou. O caso deve ser julgado novamente em março.

Nenhum comentário:

Postar um comentário