quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

ITABUNA-BA: A arte de Renart faz o Natal Encantado de Estrelas

Num ano de crise e de recursos escassos, a decoração natalina de Itabuna elaborada pelo concepcionador plástico Renart Sousa, surpreendeu a todos ganhando elogios e foi destaque no noticiário local e regional, graças ao engenho e criatividade do artista grapiúna, que executou o projeto num tempo recorde, através de uma parceria com o governo municipal, o qual disponibilizou três mil metros de mangueiras luminosas e mobilizou o departamento de Iluminação Pública no apoio ao projeto.

Ele destaca que a decoração foi composta de um conjunto de 250 peças decorativas desenvolvidas em ferro modelado, com superposição de cordas luminosas e lâmpadas multicoloridas tipo strobo, de piscar contínuo, que permitem uma sensação de movimento vislumbrado nos logradouros decorados.

Renart explica ainda, que a decoração natalina de Itabuna, deste ano apresentou um toque diferencial de graça e elegância em sua composição visual, com a retomada da tradição dos festejos de final de ano.
Neste trabalho, o concepcionador Renart Sousa, mais uma vez demonstrou sua capacidade criativa, num projeto que denominou de Sinfonia de Estrelas, numa alusão ao conjunto de estrelas incluídas na decoração e que foi elogiada pelo público.

As peças foram instaladas nas avenidas Cinquentenário, Aziz Maron, Princesa Isabel e Juracy Magalhães; bem como nas praças Adami. Camacan, Jardim do O e na rotatória de acesso ao São Caetano, com um conjunto de peças de grande porte criando um espaço de feérica beleza visual bem como nas ruas Paulino Vieira e Rui Barbosa. As pontes que cortam o centro de Itabuna também foram decoradas.

Quem é
Desenhista, pintor, escultor, medalhista, decorador e especialista na concepção de decoração para grandes eventos públicos, o concepcionador plástico Renart Sousa registra mais de quatro décadas uma militância artística, que lhe renderam a consagração junto à crítica e ao público. Ele conviveu com artistas como Vauluizho Bezerra, Alceu Pólvora, Valdirene Borges, Domenico Lazzarini e Israel Pedrosa.

O artista itabunense viveu durante dez anos na Europa, onde frequentou a Escola de Belas Artes de Genebra, na Suíça e depois na Escola de Medalhística da Casa da Moeda da Itália, onde se especializou na arte do bronze. O artista também é detentor de vários prêmios, entre os quais o Troféu Nacional Imprensa do Cacau.

Ele conta que voltou para o Brasil em 1981, tendo Itabuna como centro de referência para a sua ação artística e onde mantém um ateliê de criação e experimentação, que funciona como uma central de operações para grandes eventos inclusive em Itabuna e Ilhéus, as duas maiores cidades da região e como um polo de revelação de novos valores e talentos artísticos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário