sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Pais devem equilibrar a relação das crianças com aparelhos eletrônicos

Atualmente, o sedentarismo é apontado como um dos fatores responsáveis pela obesidade infantil. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2014, 41 milhões de crianças de todo o mundo estavam obesas, e o número vem crescendo. Esse número pode estar associado ao longo tempo que as crianças ficam na frente de aparelhos eletrônicos. Por mais que esse tipo de acessório tenha se tornado um recurso que garante um pouco de tranquilidade aos pais, que podem se dedicar a outras tarefas enquanto os filhos estão entretidos, uma rotina preenchida apenas com atividades nesses dispositivos pode se tornar um problema quando são excluídas do dia-a-dia da criança as brincadeiras ao ar livre ou com os amigos. Apesar de ser praticamente uma utopia extingir as telas da vida das crianças, é necessário criar formas de gerir o uso desses dispositivos a fim de evitar excessos. Para isso, a mediação dos pais em relação ao problema é fundamental. Em entrevista concedida ao site Catraca Livre, a neurologista pediátrica e presidente do Departamento de Desenvolvimento da Sociedade Brasileira de Pediatria, Liubiana Arantes de Araújo, aconselha que a criança não deve ficar muito tempo usando dispositivos eletrônicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário