quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Entre promessas e chantagens

Dizem as más línguas que o Palácio do Planalto prometeu cargos para partidos que apoiassem Temer e o ajudassem a sair da enrascada de ser investigado pela Procuradoria-Geral da República.
Deputados votaram a favor de Temer, mas parece que ele não cumpriu a promessa.
Agora as siglas do que conhecemos como “centrão” (PP, PR, PSD e SD) ameaçam derrotar o governo já na semana que vem, quando deve ocorrer a primeira votação importante da pauta econômica depois da rejeição da denúncia contra o presidente.
A pauta em questão é a medida provisória do Refis, programa de renegociação de dívidas com o fisco, considerado prioritário pelo governo para tentar salvar as contas públicas deste ano.
O que as excelências dizem? Falta de diálogo com o Planalto, afirmam que o governo se recusa a redistribuir os espaços hoje ocupados por indicações de deputados que votaram contra Temer na Câmara na semana passada.
O que o governo diz? Que tem feito uma redistribuição pontual de cargos, mas promete aos parlamentares listar até a semana que vem as vagas ocupadas por traidores, em uma devassa mais significativa.

Nenhuma vergonha, nenhum pudor nas negociações. Tudo tratado como se fosse ético, sério, a favor do Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário