quinta-feira, 6 de julho de 2017

Sentimento de impunidade ainda estimula corrupção

Prisão de Geddel Vieira, por tentar obstruir a ação da Justiça, é uma das provas de que investigados por corrupção não se atemorizam diante dos organismos de Estado
Editorial, O Globo
Desde o começo das investigações do mensalão, em 2005, passando pela condenação de mensaleiros, em 2012, e chegando à Lava-Jato, lançada em 2014, passaram-se 12 anos e mesmo assim poderosos ainda continuam a ser presos em nítido delito. Mesmo que haja correntes que considerem parcelas do Ministério Público e do Judiciário, envolvidas neste enfrentamento da corrupção, a reencarnação dos radicais jacobinos da Revolução Francesa e suas guilhotinas, ou a ressurreição de Torquemada, o frade da Inquisição espanhola responsável por despachar para sessões de tortura e fogueiras, alegadamente purificadoras, hereges, judeus, homossexuais etc. Leia Mais »

Nenhum comentário:

Postar um comentário