quarta-feira, 19 de julho de 2017

SÃO SEB. DO PASSÉ-BA: Por ação criminosa, cidade vive há 1 ano e meio com banco sem dinheiro

Sem dinheiro nos caixas, os únicos serviços disponíveis são de abertura de conta, retirada de extrato
A população de São Sebastião do Passé que precisa utilizar os serviços mais básicos do Banco do Brasil não está conseguindo fazer isso há cerca de um ano e meio. Isso porque, desde a explosão da unidade – no final de 2015 -, a agência da cidade, localizada na Região Metropolitana de Salvador (RMS), não trabalha mais com dinheiro.

O prédio foi alvo de criminosos duas vezes naquele ano, uma em janeiro e a outra em dezembro. Quatro bandidos que participaram do primeiro ataque foram presos em setembro de 2015. Já na última ação – bastante parecida com a de janeiro -, os criminosos explodiram os terminais e atiraram contra o pelotão de Polícia Militar da cidade.

Sem dinheiro nos caixas, os únicos serviços disponíveis são de abertura de conta, retirada de extrato e transferência (desde que não envolva dinheiro em espécie).A situação fez alguns vereadores se mobilizarem. Um deles foi Sérgio Sacramento (PEN), que “comprou a briga” quando precisou fazer um saque e não conseguiu. “A agência de São Sebastião é a terceira maior da região e, agora, eles não trabalham com honorários. Marquei uma audiência com o superintendente em Salvador há 15 dias [início de julho], mas ele disse que não há previsão para a volta das atividades”, conta o parlamentar ao Aratu Online.

Ainda de acordo com Sérgio, a situação é ainda mais preocupante para as famílias carentes da região. “Há cerca de 500 aqui que pagam R$ 25 do programa ‘Minha Casa, Minha Vida’. Como o pagamento é feito apenas no Banco do Brasil, eles precisam pagar R$ 12 de transporte para se deslocar até Candeias”, pontua o vereador.

OUTRO LADO
Procurada, a assessoria do banco informou que a infraestrutura do prédio foi danificada por conta do último ataque. A empresa pontuou ainda que os terminais de autoatendimento permanecem em funcionamento, porém apenas para consultas. O BB trata isso como uma solução “temporária”, mas não dá prazo para a retomada das atividades normais.O comandante em exercício 10ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Candeias) – responsável pelo policiamento em São Sebastião do Passé, capitão Silvio Conceição, diz que a cidade conta com duas viaturas com policiais orientados para combater, também, ataques a bancos. Ele não comenta a decisão da empresa em não trabalhar com dinheiro. “Isso é uma dinâmica administrativa que não me compete comentar”, resume o oficial. (Aratu Online)

Nenhum comentário:

Postar um comentário