segunda-feira, 24 de julho de 2017

Jacob Barata Filho recebeu informações antecipadas sobre sua prisão, confirma jornal

Foto: Reprodução / TV Globo
Empresário do setor de transportes do Rio de Janeiro, Jacob Barata Filho recebeu informações antecipadas quanto às investigações sobre o pagamento de propina pela Fetranspor a autoridades do governo do Estado. O empresário foi preso na Operação Ponto Final, no último dia 2 de julho, na sala de embarque do Aeroporto Galeão. De acordo com matéria publicada na edição deste domingo (23) do Fantástico, Jacob também possuía apenas passagem de ida para Portugal, ao contrário do que a defesa do empresário vinha afirmando. "Vou hoje à noite, com a Bia [sua filha]. Comprei ida, a volta deixa", afirmou Barata a um interlocutor. A gravação foi feita com autorização da Justiça. Quando a prisão foi deflagrada, a Polícia Federal (PF) encontrou documentos sobre a operação, o que incluía uma lista de investigados e a ordem judicial para quebra de sigilo bancário. Segundo informações d'O Globo, a suspeita é de que, por ser dono do Banco Guanabara, ele tenha tido acesso aos informes emitidos pelo Banco Central. BN

Nenhum comentário:

Postar um comentário