domingo, 2 de julho de 2017

Funcionário brasileiro tem vontade de aprender, diferente de outros, diz o chefe francês do Ibis no país

Simon Plestenjak/UOL e Arte/UOL**Simon Plestenjak/UOL
O francês Patrick Mendes, CEO da AccorHotels na América do Sul, que inclui hotéis como Ibis, Novotel, Sofitel e Mercure, é um entusiasta do Brasil. Para ele, a simpatia dos brasileiros os torna diferentes como funcionários, mais dispostos a melhorar os serviços.

Nesta entrevista exclusiva para a série UOL Líderes, ele fala, entre outros, do potencial turístico do Brasil, da disputa com empresas de aluguel privado, como o Airbnb, e do excesso de oferta de quartos no país depois da Copa e das Olimpíadas.


Otimismo, vontade e curiosidade do brasileiro são impressionantes
Para o setor de serviços, em que se incluem os hotéis, a chamada "experiência" do cliente conta cada vez mais. É basicamente como ele se sente tratado. Para isso, é preciso que os equipamentos estejam em ordem (um wi-fi rápido, um chuveiro quente, TV grande, ar-condidionado com a temperatura certa) e que os funcionários sejam bem treinados.

"Nós temos quase 16 mil colaboradores no Brasil. É um desafio garantir consistência de experiência para o cliente", afirma Patrick Mendes, CEO da AccorHotels na América do Sul.

Segundo ele, esse desafio no país é compensado pelo esforço do brasileiro. "É muito mais fácil para nós do que em outros países -e eu trabalhei em vários. Realmente vejo no Brasil muito mais facilidade para formar as pessoas. Os colaboradores são muito mais inclinados e empenhados em providenciar uma experiência diferenciada."  LEIA MAIS

Nenhum comentário:

Postar um comentário