sábado, 8 de julho de 2017

Após derrota, vascaínos provocam confusão, brigam com PM e atiram bombas

Pedro Ivo Almeida, do UOL no Rio de Janeiro
Logo depois do fim do jogo entre Vasco e Flamengo no Estádio de São Januário, que terminou 1 a 0 para o time rubro-negro, aconteceu uma grande confusão iniciada pela torcida vascaína. Algumas pessoas tentaram invadir o gramado, outros jogaram bombas em campo, houve depredação e ocorreram brigas na arquibancada. Os jogadores dos dois times tiveram que ficar cercados pela polícia no meio do gramado e só foram para os vestiários após 20 minutos. A polícia usou gás de pimenta para tentar controlar a situação, mas a briga também foi para fora do estádio.

Pedro Ivo Almeida/UOL
Os torcedores vascaínos ficaram revoltados com o resultado e, após o apito final, começaram a jogar diversos objetos no gramado, inclusive bombas. Algumas pessoas tentaram até invadir o gramado, mas sem sucesso.

Quando a Polícia Militar tentou intervir, os vascaínos passaram a brigar na arquibancada e depredar o estádio. Até torcedores que não estavam envolvidos na confusão ficaram sem ter para onde ir. Houve cenas de guerra, com crianças chorando, mulheres desesperadas e gente caída por causa da briga e do gás de pimenta usado pelos policiais.

Os jogadores conseguiram sair do campo cercados, mas antes alguns deram entrevista em campo e lamentaram o ocorrido: "não é bom o futebol, não é bom para as pessoas que estão ali no meio. Pessoas de bem não merecem isso. Agora chegou gás de pimenta e acaba incomodando um pouco. Isso não é nada, pior é para quem está sofrendo com essa bagunça aí", afirmou Everton Ribeiro em entrevista ao Premiere.

Luciano Belford/AGIF
Diego foi questionado sobre a estrutura de São Januário e comentou: "eles têm o direito de jogar aqui em São Januário, mas que seja com intuito de apenas se sentir em casa e fazer um grande jogo, não para agredir e acabar gerando toda essa confusão. Nós viemos, jogamos, ganhando. As cenas que estamos vendo são realmente lamentáveis", comentou o meia, também ao Premiere.

Pedro Ivo Almeida/UOL
Marcelo Viana, delegado da partida, explicou o que pode ser feito por enquanto: "por parte da federação é encaminhar documentos pra CBF. Tem que esperar as próximas horas para saber se a CBF tomará uma medida administrativa ou encaminhar para o STJD. Alguma coisa acontecerá, porque as imagens dizem tudo. Houve realmente uma confusão muito grande em São Januário", declarou ao Premiere.

Ele também comentou sobre a quantidade de policiais presentes no estádio: "o número de policiais empregado é o mesmo de todas as partidas que foram realizadas em São Januário. O que houve foi muita gente querendo brigar. Essas bombas são muito difíceis de ser detectadas nas revistas. Os torcedores escondem essas bombas com muita facilidade. Não acredito que foi um número insuficiente de policiais, mas uma reação inesperada da torcida".

Por falta de segurança, as entrevistas coletivas dos dois técnicos foram canceladas. A assessoria do Flamengo divulgou que, na segunda-feira (10), Zé Ricardo concederá entrevista no CT, após o treino. CEO do time rubro-negro, Fred Luz lamentou o ocorrido: "é lamentável que isso aconteça, é triste para o futebol. Foi um jogo só, não tem motivo para isso. Mas é a realidade que a gente vive. Vamos deixar para as autoridades e os órgãos competentes".

Nenhum comentário:

Postar um comentário