quarta-feira, 19 de julho de 2017

A vida da mulher que substituiu o marido na Chape após a tragédia

Thais Carvalho Diniz*Do UOL, em São Paulo*Adriano Vizoni/Folhapress
Cleberson Silva era o assessor de imprensa da Chapecoense. Aos 39 anos, ele morreu noacidente aéreo de novembro de 2016, que fez 71 vítimas. Desde então, quando o clube catarinense ficou sem presidente, comissão técnica e maioria dos jogadores, Sirli Freitas, 33, assumiu o posto de que pertencia ao marido na Chape. 

O assessor deixou a mulher e dois filhos, Pedro, 9, e Mariana, 3, que estudam na frente da Arena Condá, em Chapecó. Assim como o pai fazia, hoje é a mãe que os busca na escola após um dia de trabalho. Menos de um mês após o desastre, ela já exercia as funções que eram de Cleberson.

"O Plínio [presidente] me ligou e eu não falei de salário ou condições de trabalho. Simplesmente, aceitei. Estava desesperada e queria estar aqui dentro [da Chapecoense]." Quando recebeu o telefonema, a jornalista, até então repórter e fotógrafa do "Diário Catarinense", estava no clube recolhendo os pertences do marido. Leia tudo em https://noticias.bol.uol.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário