terça-feira, 20 de junho de 2017

Paquistanês foi condenado à morte por “blasfemar” após post no Facebook

O Tribunal paquistanês antiterrorismo condenou Taimoor Raza, de 30 anos, a execução por blasfêmia.
Esta, no entanto, é a primeira vez que uma sentença de morte é proferida por “blasfêmia online”. A religião do país determina que insultar Deus, o Islã ou qualquer outra personalidade religiosa é passível de punição por morte. Com informações do Daily Mail.

O homem foi acusado de disseminar ódio por meio de uma publicação considerada depreciativa do Profeta Maomé no Facebook. Esta é a primeira vez que alguém recebe pena de morte por publicar algo nas redes sociais. Trata-se de uma forma de repressão de alto nível criada pelo primeiro-ministro Nawaz Sharif.

A blasfêmia é um tema altamente sensível para a maioria muçulmana do Paquistão. Logo, insultar Maomé, o Islã ou outras personalidades religiosas é considerado crime capital. Atualmente dezenas de sentenciados estão esperando no corredor da morte.

O Paquistão, no ano passado, prendeu 15 pessoas (10 muçulmanos e cinco não-muçulmanos) por acusações de blasfêmia, de acordo com um relatório emitido pela Comissão de Direitos Humanos, um grupo independente no país.

Embora nunca tenha executado ninguém condenado pelo crime, a mera acusação é suficiente para inflamar a violência local, uma vez que a população é profundamente conservadora.

Grupos de direitos humanos afirmam que as duras leis sobre a blasfêmia são usadas apenas para liquidar casos pontuais.  [ Daily Mail / The Guardian ] [ Fotos: Reprodução / Daily Mail ]

Nenhum comentário:

Postar um comentário