terça-feira, 13 de junho de 2017

Farmácias estão adicionando sibutramina às fórmulas manipuladas sem os pacientes saberem

Alguns especialistas indicam que esse medicamento pode mesmo fazer o paciente emagrecer, pois inibi a recepção de serotonina e noradrenalina, o que ajuda a diminuir a ingestão de calorias.

Porém, a sibutramina não é recomendada para todas as pessoas. O medicamento pode aumentar o risco de algumas doenças cardíacas e as chances de uma pessoa ter infarto ou derrame. Em casos mais graves, pode levar até a morte.

Na Europa, a venda de sibutramina foi proibida pela quantidade de efeitos colaterais e possíveis evoluções para quadros mais graves. Mas, aqui no Brasil, segundo a Associação Brasileira de Defesa do Consumidor,algumas farmácias estão adicionando inibidores de apetite, como sibutramina, sem o consentimento dos pacientes. Durantes os meses de novembro e dezembro de 2016, Associação Brasileira de Defesa do Consumidor usou voluntários para realizar consultas com vários médicos do Rio de Janeiro.

Segundo a instituição, os voluntários receberam a indicação do médico para ir a uma farmácia especifica, o que é proibido.Quando os medicamentos ficaram prontos e foram adquiridos pelos pacientes, testes foram feitos para verificarem sua composição.

Das 29 fórmulas prescritas por 11 médicos, 8 continham inibidores de apetite sem ao menos estarem na receita original.Essa situação é muito alarmante, pois o consumo dessas substâncias sem a orientação ou consentimento pode causar sérios efeitos colaterais.  [ Diário de Biologia ] [ Fotos: Reprodução / Diário de Biologia ]

Nenhum comentário:

Postar um comentário