domingo, 29 de janeiro de 2017

Piloto de aeronave que levava ministro do STF pode ter adotado prática informal de pouso

Foto: Sonia Barcelos / Arquivo pessoal
O voo que levava o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki pode ter seguido um procedimento não homologado pelas autoridades para pousar antes de sua queda. De acordo com informações do jornal Folha de São Paulo, esse procedimento é uma maneira possível de pousar na cidade de Paraty, Rio de Janeiro, em dias de chuva e nebulosidade, como na ocasião do acidente. Em entrevista a publicação, Carlos Camacho, piloto aposentado e analista de acidentes aeronáuticos, o relato de testemunhas quanto a manobras executadas pelo avião condiz com o que está previsto na chamada carta “Mandrake”. Os pilotos que voam a região costumam recorrer ao procedimento para pousar no aeroporto quando as condições de visibilidade não permitem o pouso apenas por visual. O papel tem orientações para pouso "por instrumento" e de como fazer o procedimento em caso de "aproximação perdida" (arremetida). Ainda de acordo com o jornal, a utilização desse procedimento é uma das questões que estão sendo investigadas pelas autoridades aeronáuticas. BN

Nenhum comentário:

Postar um comentário