domingo, 30 de outubro de 2016

A ditadura escancarada na Venezuela

Com a suspensão do referendo sobre a permanência do presidente Nicolás Maduro no poder, o chavismo se despe dos últimos vestígios de institucionalidade democrática. Uma solução pacífica para a crise venezuelana parece cada vez mais difícil
TERESA PEROSA
FÚRIA
O líder da oposição, Henrique Capriles, comanda uma manifestação. A suspensão do referendo levou a protestos nas ruas (Foto: Ronaldo Schemidt/AFP)

Uma multidão tomou as ruas de Caracas, na quarta-feira (26), aos gritos de “revogatório, revogatório”. Faixas ilustradas pelas cores amarela, vermelha e azul, da bandeira da Venezuela, exigiam a realização de um referendo para decidir sobre a permanência ou saída do presidente Nicolás Maduro do poder. “Dia 3 de novembro, convido todo povo venezuelano para marchar até [o Palácio de] Miraflores”, bradou Henrique Capriles, um dos líderes da oposição ao chavismo, ao convocar os manifestantes para novos protestos. LEIA TUDO AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário