sexta-feira, 29 de julho de 2016

Finalmente inventaram a lâmpada “do futuro” que dura uma vida inteira

Jake Dyson, um inventor britânico e fundador da Jake Dyson Lighting, presente no mercado desde 2004, criou uma lâmpada de LED capaz de funcionar por mais de 40 anos.

Sua invenção, além de ser muito útil para a sociedade, ainda é considerada a mais inteligente, barata e sustentável já criada. No momento, sua empresa – que agora faz parte da Dyson, fundada pelo seu pai, James Dyson – vende apenas dois modelos de lâmpadas: a CSYS, de chão e mesa e a Cu-Beam, para o teto. Ambas são projetadas com LED e são pensadas para durarem uma vida inteira se não sobreaquecerem, segundo informações da Tech Insider.

“Nossas luzes CSYS e Cu-Beam possuem tubos de calor que canalizam essa temperatura para longe dos LEDs, dissipando-as para fora do ambiente”, disse Dyson à Tech Insider. “Isso ajuda a mantê-los frescos e protegê-los do dano que ocorreria de outra maneira”. As lâmpadas podem durar mais de 40 anos em pleno brilho, e mesmo depois disso ainda não se apagam. De acordo com o inventor, elas apenas perdem 70% da sua intensidade original.

Sistema de dissipação de calor através de tubos.
O que difere sua marca das concorrentes é a sua forma contraintuitiva, já que maioria das empresas simplesmente produzem suas lâmpadas para aquecerem. Embora ela possa poupar os clientes da incômoda tarefa de substituí-las, essa tecnologia de dissipação de calor não é nenhuma novidade no mercado, estando presente em alguns microprocessadores e satélites. Porém, a maioria dos fabricantes ainda preferem manter suas opções à margem das grandes tecnologias.

“O mercado de lâmpadas descartáveis ​​lucra bilhões de dólares por ano em todo o mundo, de modo que alguns fabricantes não estão interessados ​​na criação de produtos de iluminação que duram uma vida”, disse ele. “Eu vejo alguns paralelos para quando meu pai foi pioneiro na fabricação do primeiro aspirador sem saco. Naquela época outros fabricantes rejeitaram a ideia porque vender sacos de vácuo descartáveis ​​era muito lucrativo”.

Seu objetivo, no entanto, é mudar a forma como as pessoas pensam sobre a iluminação em geral, da mesma forma que Thomas Edison fez quando deu às pessoas uma alternativa aos lampiões. O dinheiro economizado pelos consumidores, a longo prazo, pode ser substancial, talvez algo em torno de centenas ou milhares de dólares, segundo ele. A ideia também beneficiaria o meio ambiente, já que os produtos de iluminação precisam ser descartados quando param de funcionar, “e isso ocorre em um período relativamente curto”, disse.

Em um plano geral, a ideia do inventor não é acabar com as lâmpadas convencionais, mas mostrar às pessoas que uma luz que não se acaba pode de fato existir. [ Tech Insider ] [ Fotos: Divulgação / Jake Dyson Lighting ]

Nenhum comentário:

Postar um comentário