quarta-feira, 29 de junho de 2016

Maranhão e PT tentam “rachar” base de Temer na eleição para presidente da Câmara

Articulação envolve apoio dos que votaram contra o impeachment à candidatura avulsa de partido aliado do Planalto
RICARDO DELLA COLETTA
Waldir Maranhão, presidente interino da Câmara (Foto: Agência Câmara dos Deputados)

Reduzido a uma força política sem condições de disputar a sucessão na Câmara dos Deputados, o PT e aliados da presidente afastada Dilma Rousseff desencadearam uma articulação para tentar “rachar” a base do presidente interino,Michel Temer, na eleição para presidente da Casa.

A expectativa é que a escolha de um presidente da Câmara “tampão” ocorra nos próximos meses, uma vez que Eduardo Cunha – eleito para o posto no ano passado, mas afastado pelo STF – enfrenta um processo de cassação em estágio avançado, já aprovado pelo Conselho de Ética.

A ideia em discussão é mobilizar as bancadas que votaram majoritariamente contra o impeachment de Dilma – basicamente PT, PDT e PCdoB – em apoio a uma candidatura que, embora da base de Temer, não seja a preferida do “centrão” nem do Palácio do Planalto. O tema foi discutido hoje em reunião com a participação do presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão, na liderança do PCdoB na Casa.

Há três nomes que, dizem os deputados do PT, hoje se encaixariam no perfil: Giacobo (PR), Rodrigo Maia (DEM) e Júlio Delgado (PSB). Em comum, os três têm a ambição de presidir a Câmara até janeiro do ano que vem.

O “centrão” – junção de partidos que orbitaram em torno de Eduardo Cunha – quer, por outro lado, emplacar um presidente que represente seu grupo. O preferido deles para o posto é Rogério Rosso, do PSD. E o “centrão” quer o apoio de Temer na eleição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário