segunda-feira, 30 de maio de 2016

Sem Dilma, grupos temem redução do combate à tortura e vão à ONU

O afastamento de Dilma Rousseff da Presidência da República causou uma grande preocupação nos grupos de enfrentamento à tortura. Com o risco de enfraquecimento no combate, as entidades enviaram uma carta ao Subcomitê de Prevenção à Tortura da ONU, manifestando a preocupação com o problema.

De acordo com a coluna da jornalista Monica Bergamo, na Folha de S.Paulo, o documento aborda a “fragilização” do CNPCT (Comitê Nacional de Prevenção e Combate à Tortura). Os grupos também se disseram apreensivos com a seleção dos novos membros do órgão, diante do momento complicado da política brasileira.

Vale ressaltar que os 23 integrantes que iniciaram seus mandatos em 2014, deixam o comitê ainda este ano. E os novos membros serão indicados pelo governo Temer, que vai ligar o comitê à Secretaria de Direitos Humanos, subordinada ao Ministério da Justiça, que ainda não comentaram o assunto. Fonte: Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário