sexta-feira, 31 de julho de 2015

Inglaterra cortará benefícios de obesos que se recusarem a buscar tratamento

Foto: Reprodução
O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, anunciará o corte de benefícios para obesos que se recusarem a realizar tratamento e perder peso. A medida pretende fazer com que pessoas acima do peso busquem alguma terapia para a doença. Recebendo atualmente cerca de 100 euros, o equivalente a R$ 525, os obesos poderão ter o benefício suspenso caso se neguem a procurar tratamento. De acordo com o governo britânico, o impacto da obesidade no sistema de saúde do país é cerca de cinco bilhões de euros. Quando o quadro é como a doença incide financeiramente em outros setores, o montante chega a 27 bilhões de euros. “Temos que ver o que fazemos quando as pessoas simplesmente dizem ‘não, obrigado’ e recusam ajuda, mas esperam que os contribuintes financiem seus benefícios. Nos próximos cinco anos quero ver muito mais pessoas saindo do benefício de doença para o trabalho”, falará o primeiro-ministro durante sua visita à Cingapura, de acordo com o jornal Telegraph. Cerca de 90 mil pessoas reivindicam o benefício concedido a doentes, grande parte delas também devido à dependência a drogas e álcool. Dessa forma, acredita-se que o primeiro-ministro poderá tomar a mesma decisão de proibir os benefícios casos usuários de drogas também se recusem a buscar tratamento. Especialistas afirmam que o vício em drogas e álcool e casos de obesidade extrema têm impacto negativo nas chances dessas pessoas conseguirem um trabalho, gerando um número maior de desempregados. BN

Nenhum comentário:

Postar um comentário