quinta-feira, 30 de abril de 2015

Fabricante de máquinas estima que operação Lava Jato pode quebrar 200 empresas

Carlos Pastoriza, presidente da Abimaq / Foto: Divulgação
O presidente da Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Carlos Pastoriza, está agendando uma audiência para entregar ao presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, um dossiê que relata "o descalabro" no setor. Segundo ele, 200 empresas estão prestes a quebrar porque não recebem dinheiro das empreiteiras envolvidas na Operação Lava Jato. "Máquinas foram vendidas às empreiteiras para obras no setor de óleo e gás. Muitas delas não pagam e sequer conseguimos encontrar alguém para conversar. Ou os donos das empresas estão presos ou os diretores desapareceram, não falam com ninguém", disse Pastoriza à coluna Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo. Pelo menos cinco empresas investigadas na Lava Jato já apresentam R$ 15 bilhões em reestruturação de dívidas. BN

Nenhum comentário:

Postar um comentário