sábado, 29 de novembro de 2014

Homem sem os 4 membros recebe transplante duplo de braços e pode abraçar sua família novamente

Um ex-professor universitário que passou por um transplante duplo no braço, no mês passado, no Hospital Brigham and Women, em Boston, diz que a melhor coisa sobre a operação realizada é que agora ele é capaz de abraçar seus entes queridos novamente.

Will Lautzenheiser, com ambos os braços ainda em moldes parciais nesta terça-feira, disse em entrevista coletiva que é grato ao doador anônimo, que "estará sempre perto de mim, quase como minha própria pele”.

Lautzenheiser é um ex-professor de produção de cinema e roteirista da Universidade de Boston e da Universidade Estadual de Montana, que precisou ter os 4 membros - inferiores e superiores - amputados em 2011, em decorrência de uma infecção estreptocócica.

Ele foi submetido a uma operação de quase nove horas no mês passado que envolveu 13 cirurgiões. Em junho, quando a operação foi anunciada, Lautzenheiser disse ao jornal Boston Herald que ele estava com medo, mas não podia esperar pelo dia em que pudesse abraçar sua sobrinha e as pessoas que ama, além de segurar novamente uma câmera para correr atrás de seu sonho de se tornar um cineasta.

Aqueles que quiserem saber mais sobre a história de Lautzenheiser, podem assistir a um documentário de 10 minutos chamado “Stumped” a respeito de sua reabilitação e como ele conseguiu perseguir seus objetivos como um cineasta e performer, apesar de ser um amputado quádruplo.

O bom humor tem sido um mecanismo de enfrentamento poderoso para Lautzenheiser e o portal Boston Globe relata que numa conferência de imprensa, em junho, um vídeo de Lautzenheiser fazendo um show de stand-up, trouxe a multidão a risadas, fazendo piadas sobre si mesmo.

Em junho, Lautzenheiser disse esperar que sua cirurgia possa abrir o caminho para outros amputados que necessitam de cuidados médicos e mencionou as vítimas do atentado na Maratona de Boston, que ficaram sem membros. "Nós mostramos que realmente somos fortes. O apoio que temos dado a pessoas que têm deficiência, não importa qual tipo de deficiência, é enorme”, concluiu. Fonte: DailyMail Foto: Reprodução / DailyMail

Nenhum comentário:

Postar um comentário