sexta-feira, 30 de maio de 2014

Joaquim Barbosa: ‘Faltou visão clara dos interesses nacionais’

Barbosa, no tempo de atacante do time da Gráfica do Senado, nos anos 70. ‘Jogava na frente, caíndo pela esquerda. Era muito rápido’ARQUIVO GRÁFICA DO SENADO
RIO - Barbosa e negro, como o goleiro da Copa de 1950, o presidente do Supremo Tribunal Federal tenta jogar o futebol na desimportância de uma das opções de lazer do seu cotidiano. Às vésperas da Copa do Mundo, a grande paixão nacional ganha o tempero do desencanto no olhar do ex-craque amador (com o autoidentificado pendor da velocidade) Joaquim Barbosa. Dois dias antes de anunciar sua aposentadoria, o titular do maior posto do Judiciário brasileiro mudou de assunto, para falar ao Globo a Mais de Copa e futebol.
Nossa relação com o esporte motivou um lamento, de que o país não invista mais na formação de craques em áreas mais nobres, como a ciência ou a tecnologia. Mas, paradoxalmente, o Mundial vai ser recebido com entusiasmo por ele, que verá Cristiano Ronaldo in loco, graças ao ingresso — comprado, registre-se — para Gana x Portugal, dia 26 de junho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário