sábado, 30 de novembro de 2013

Há 100 anos, America conquistava o Rio pela primeira vez

Diabos ganharam a primeira taça em 1913 (Foto: Divulgação)
Primeira conquista americana no Campeonato Carioca completa um século
Gabriel Andrezo
Históricas
O hino do America diz que o clube é “campeão de 13, 16 e 22″. A primeira conquista, é claro, nunca se pode esquecer. E os Diabos comemoram neste sábado (30) o centenário de seu primeiro título carioca. Em 30 de novembro de 1913, Gabriel Carvalho fez o gol da vitória sobre o São Cristóvão, tornando-se o quarto clube a ganhar o campeonato. Foi o primeiro dos sete campeonatos vencidos pelo Rubro em toda sua História.

Voltando 100 anos no tempo, é fácil perceber que o America vinha batendo na trave nos anos anteriores. Quatro terceiros lugares e um vice nas cinco temporadas que antecederam 1913 provavam isso. E o Diabo veio forte para levantar seu troféu naquele ano. A estreia, em 3 de maio, foi absolutamente incontestável, com um sensacional 9 a 1 sobre o quase-xará Americano, de Vila Isabel: 9 a 1.

Mangueira, São Cristóvão, Fluminense e Rio Cricket seriam as vítimas seguintes: cinco vitórias nos seis primeiros jogos, com apenas uma derrota, para o Botafogo. 26 gols marcados e apenas cinco sofridos. Definitivamente America era o time a ser batido. A trajetória seguiu com mais vitórias sobre Bangu, Flamengo e Paissandu, o que fez o time fechar o primeiro turno com a melhor campanha.

No returno, só com os melhores clubes, o Mecão voltou a se sobressair. Destaque para um eletrizante 5 a 4 conquistado em cima do já tradicional Fluminense, campeão em cinco dos sete anos anteriores, na Rua Campos Sales. Apesar de derrotas para Botafogo e Flamengo, a desforra viria diante de Paissandu e Rio Cricket. O último jogo foi na Tijuca e o America dependia de apenas uma vitória para levantar a taça. Mas foi mais difícil do que se pensava.

No entanto, uma dissidência dentro do clube, onze dias antes do jogo final, quase colocou tudo a perder. Um entrevero político no America causado por uma eleição fez com que o clube perdesse 70 membros, entre jogadores e associados. O sonho da conquista estava ameaçado caso a equipe não ganhasse o último jogo. Além disso, o Botafogo já tinha conquistado um triunfo sobre o Paissandu e empatado com o America.

No mesmo dia do triunfo alvinegro, o America jogou contra o São Cristóvão e perdeu por 1 a 0. Com 22 pontos, o time poderia jogar um desempate com Flamengo e Botafogo para que se definisse o campeão. No entanto, dias depois, ficou confirmado que José Amarante Camarinha Filho, do São Cristóvão, tinha atuado de maneira irregular. Assim, o jogo foi anulado e remarcado.

Não foi fácil, mas no dia 30, o America entrou em campo de novo e venceu o São Cristóvão, confirmando a conquista do título carioca com um gol de Gabriel, logo aos oito minutos de partida. O time, liderado por um “ground committee”, uma espécie de comissão técnica sem um líder definido, jogou com Marcos de Mendonça, Luís e Belfort Duarte; Mendes, Lincon e Berthelot; Witte, Gabriel, Ojeda, Juquinha e Aleluia.

Para o America, nada nunca foi fácil. A primeira conquista carioca é só uma introdução a uma história de lutas e necessidade de comprovar sua força perante as dificuldades. Mas o America passou por isso com louvor, num verdadeiro “batismo de sangue”. Há exatos 100 anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário