quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Bruno pode ser solto hoje, 27/02

A cinco dias do início do júri popular do caso em que é acusado de participar do desaparecimento e da morte da ex-modelo Eliza Samudio, o goleiro Bruno Fernandes pode ganhar a liberdade e voltar aos gramados. Será julgado nesta quarta-feira (27), o pedido de habeas corpus, que seria a última cartada dos advogados do jogador antes do julgamento.

A sessão acontece na 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, na avenida Raja Gabáglia, região centro-sul da capital mineira, à partir das 13h30. O futuro do goleiro será definido pelos desembargadores Doorgal Andrada, que é o relator do pedido, Herbert Carneiro e Delmival de Almeida Campos.

O principal argumento da defesa do jogador para a soltura do goleiro é o interesse do Boa Esporte, time de Varginha, no sul de Minas, na contratação de Bruno. A intenção, segundo Tiago Lenoir, advogado do jogador, é que Bruno fique, pelo menos, em prisão domiciliar.

— É um direito dele [trabalhar], um direito constitucional.

Um pré-contrato com o time da cidade do sul de MG também foi anexado ao processo.

— Um dos requisitos para a prisão domiciliar é justamente o trabalho. O Bruno, assim que for concedida a ordem [de soltura] para ele, se for concedida, ele se apresenta imediatamente ao Boa Esporte Clube.

O presidente do Boa, Rone Moraes da Costa, confirmou o interesse através de nota oficial no site do clube. Conforme o mandatário, a contratação será feita desde que não haja impedimento legal para Bruno "ir e vir" o que é "imprescindível para os treinos, jogos, concentrações e viagens que fazem parte da rotina de trabalho de um atleta profissional de futebol" e que haja acordo entre clube e jogador com relação ao contrato.

Júri
O júri está marcado para começar na manhã desta segunda-feira (4), no Fórum de Contagem, na Grande BH. Serão julgados o goleiro Bruno Fernandes e sua ex-mulher, Dayanne Rodrigues, pelo desaparecimento e morte de Eliza Samudio. Dois réus já foram condenados no processo, no julgamento realizado em novembro de 2012, entre eles Luiz Henrique Romão, o Macarrão, que seria o braço-direito do jogador, e deverá ficar 15 anos preso. (R7).

Nenhum comentário:

Postar um comentário