terça-feira, 31 de julho de 2012

Dilma deve fazer reforma ministerial depois das eleições

Uma reforma ministerial já é tida como certa na Esplanada de Dilma Rousseff para depois das eleições municipais ou, com mais possibilidade, para depois da escolha dos novos presidentes da Câmara e do Senado. Apesar de estar ainda distante, o assunto é constante nos comandos dos partidos aliados e em alguns gabinetes mais aflitos dos ministérios. O resultado da dança das cadeiras ainda não está definido, mas políticos se debruçam desde já sobre cenários possíveis que tendem a ser desenhados após o processo eleitoral. A lógica é: quem fizer mais prefeitos em cidades-chave deverá ser beneficiado.

Para o principal partido aliado, o PMDB, pode haver mudanças. O ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro, vem sendo sondado pelo Palácio do Planalto para resolver um impasse do governo: abrir espaço para que a senadora Kátia Abreu (PSD-TO), presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), ocupe o ministério que deseja. Kátia é considerada uma peça fundamental pelo Planalto para a aprovação do Código Florestal neste segundo semestre. Segundo interlocutores palacianos, ela estaria hoje cumprindo um papel que, no passado, ficava por conta do senador Blairo Maggi (PR-MT), que se afastou do governo devido à crise do partido com o Planalto, por não conseguir emplacar um nome para o Ministério dos Transportes. Leia mais em http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/politica/2012/07/31/interna_politica,388249/dilma-deve-fazer-reforma-ministerial-depois-das-eleicoes.shtml

Nenhum comentário:

Postar um comentário