domingo, 13 de maio de 2012

A Andorinha, a Serpente e o Tribunal de Justiça

Autor: Esopo
Uma Andorinha voltando do estrangeiro tornara-se especialmente de apaixonado por morar com os homens e construiu seu ninho na parede de um Tribunal de Justiça e lá chocou sete jovens pássaros. Por alguns momentos a andorinha se descuidou dos seus pimpolhos que estavam no ninho construído sob o teto do Tribunal. Na sua ausência, uma serpente devorou os filhotes da andorinha. Ao voltar lamentou em tristes pios o triste fim dos seus filhotes. Veio outra andorinha para consolar a amiga, dizendo-lhe que não era só ela que havia perdido seus filhos. Esta revidou: Nada me consola saber que outros bebês andorinhos foram também devorados em algum lugar. O que mais lamento é que isto aconteceu exatamente aqui, onde os injustiçados esperam ser socorridos.

Moral da História:

A serpente do Mal está em toda parte e não respeita nem tribunais, nem quartéis, delegacias ou templos. Até as andorinhas que enxergam longe e podem prever o temporal que vem vindo, quando se descuidam por um momento perdem seus bens mais preciosos.

"Dentro de cada tribunal da consciência pode entrar uma serpente e devorar seus mais belos ideais. Informem-se e vigiem sempre. Conhecer a Verdade é a única libertação. O preço da Liberdade é a eterna vigilância".

Nenhum comentário:

Postar um comentário